Technische Universität München

The Entrepreneurial University

 
Os estimulantes mais populares são: cocaína, anfetaminas, ecstasy, nicotina e cafeína. A cocaína actua ao bloquear a reabsorção de dopamina, noradrenalina e serotonina. Este mecanismo provoca euforia (devido à dopamina), sentimentos de confiança (da serotonina) e energia (da noradrenalina). As anfetaminas actuam principalmente por um aumento na concentração de dopamina no intervalo sináptico ao reduzir a reabsorção de dopamina e pela excitação dos neurónios sensitivos de dopamina. As anfetaminas permitem combater a fadiga mantendo a atenção durante períodos de tempo prolongados. O ecstasy (MDMA) actua simultaneamente como um estimulante e um alucinogénio. A pessoa pode sentir um aumento de energia e euforia. A estimulação dos receptores de nicotina aumenta a secreção de dopamina. A elevada concentração de dopamina contribui para o desenvolvimento da dependência de nicotina. A nicotina produz sentimentos de prazer, como a cocaína e é extremamente viciante, como a heroína. O efeito de estimulação da cafeína provém da sua acção nos receptores de adenosina e na glândula pituitária para segregar hormonas que permitem a libertação de mais adrenalina e activam os níveis de vigilância. Os fortes efeitos adversos da utilização excessiva de estimulantes manifestam-se por paranóia, nervosismo, irritabilidade e agressividade. Pode desenvolver-se uma rápida dependência dos estimulantes. A nicotina e a cafeína não são proibidas no desporto.
drucken 

www.doping-prevention.com