Technische Universität München

The Entrepreneurial University

 
O abuso de anfetaminas pode levar a hipertensão arterial, arritmias cardíacas, enfarte agudo do miocárdio, choque cardiogénico e morte cardíaca súbita.
A cocaína não parece afectar o desempenho atlético. Contudo, a sua utilização causa isquémia do miocárdio e trombose da artéria coronária e enfarte do miocárdio. Estas perturbações são o resultado da vasoconstrição e estimulação dos α-receptores, assim como um aumento da necessidade de oxigénio no miocárdio, diminuição do abastecimento de oxigénio e trombogénese ingressiva. Outros efeitos secundários cardiovasculares da utilização de cocaína incluem endocardite infecciosa, aneurisma aórtico com ruptura, trombose vascular, espasmos vasculares coronários, hipertensão arterial e ataque cardíaco. Além disso, a cocaína pode causar miocardite e cardiomiopatia dilatada. O abuso crónico de cocaína causa necrose miofibrial, fibrose intersticial e insuficiência cardíaca congestiva. O abuso de cocaína pode causar intervalos de QT e RR prolongados e perturbações de condução A-V. A morte cardíaca súbita pode ocorrer devido a um excesso de actividade adrenérgica e arritmias fatais.
Relativamente às efedrinas, existem provas de que causa estimulação cardíaca e um aumento da pressão sanguínea sistólica e diastólica. Outros efeitos adversos cardiovasculares são arritmia cardíaca, enfarte agudo do miocárdio e morte cardíaca súbita. A constrição das artérias coronárias e espasmos vasculares são, apesar de tudo, os mecanismos de miocardite e enfarte do miocárdio depois da administração de efedrina. Também podem causar ataques isquémicos ou hemorrágicos.
drucken 

www.doping-prevention.com