Technische Universität München

The Entrepreneurial University

 
O sistema imunitário é um sistema de auto-reconhecimento e manutenção da homeostase. É uma rede extremamente complexa que se estende pelo corpo e é capaz de reconhecer e defender o organismo contra a teórica infinidade de desafios. A defesa contra organismos patogénicos é mediada por fases iniciais de imunidade inata e reacções tardias de imunidade adaptativa. Os macrófagos e neutrófilos, juntamente com as células NK, complementos e defensinas participam no mecanismo imunitário inato, que todos juntos constituem a primeira linha de defesa. Todos precisam de uma capacidade básica de distinguir entre sinais próprios e estranhos, perigosos e inofensivos com o envolvimento dos receptores “toll-like” receptors - TLR. Ao detectar, processar e apresentar antigénios, os macrófagos constituem a ligação entre ramos não específicos e específicos do sistema imunitário, que consistem principalmente nas diferentes subpopulações de linfócitos e os seus produtos. Este ramo específico constitui a reacção adaptativa, que precisa do contacto prévio com antigénios e é desenvolvido através de uma proliferação clonal de linfócitos, (T, linfócitos citotóxicos e linfócitos B) que resultam na libertação de anticorpos específicos.

Quando o sistema imunitário não funciona correctamente, as consequências podem ser graves. As perturbações do sistema imunitário incluem:
  1. Alergia e asma:  reacções imunológicas inadequadas para substâncias normalmente inofensivas
  2. Doenças de deficiência imunológica:  perturbações com diminuição da resistência a infecções
  3. Doenças auto-imunes:  doenças em que o sistema imunitário ataca por engano as suas próprias células e tecidos
drucken