Technische Universität München

The Entrepreneurial University

 
As preparações de cannabis contêm mais de 60 canabinóides, porém o principal componente psicoactivo do cannabis é o tetra-hidrocanabinol (THC) Alguns dos efeitos adversos mais graves de fumar cannabis (marijuana) encontram-se no sistema respiratório. Para os efeitos adversos de fumar cannabis nos pulmões, os efeitos de THC são por vezes menos importantes que os numerosos produtos de combustão aos quais os fumadores estão expostos. A prova sugere que a variedade de efeitos adversos nos pulmões exercida por fumar cannabis é semelhante aos efeitos induzidos por fumar tabaco. Tanto as fases gasosa como de partículas do fumo de tabaco e de cannabis contém uma variedade semelhante de químicos nocivos (conteúdo em alcatrão, carcinogénios). Contudo, as consequências pulmonares de fumar cannabis podem ser aumentadas pela deposição maior de partículas de fumo nos pulmões, devido às diferentes formas como o cannabis é fumado. Os fumadores normalmente inalam profundamente e sustêm a respiração, para garantir a máxima absorção de THC. Estudos demonstram que a inflamação das vias respiratórias se desenvolve mesmo depois de uma exposição limitada ao fumo de cannabis. Enquanto que THC causa broncodilatação modesta a longo prazo, o fumo de cannabis produz várias alterações pulmonares a longo prazo, incluindo a prova histopatológica de bronquite aguda e crónica. Os sintomas de tosse crónica e produção de expectoração e dispneia relacionada com exercício são comuns nos fumadores de cannabis. A acção de fumar habitualmente marijuana está associada com anomalias na estrutura e função dos macrófagos alveolares, provocando uma potencial predisposição para injecção pulmonar.
O fumo de cannabis é carcinogénico in vitro e in vivo e é uma causa possível do cancro dos pulmões em fumadores regulares de cannabis. Pensa-se que as mesmas alterações histopatológicas e mutagénicas são os precursores do carcinoma pulmonar que foram encontradas nos pulmões de fumadores crónicos de cannabis. Os registos de caso também documentaram cancros no tracto aerodigestivo superior (boca, língua e esófago) em jovens adultos que tinham sido fumadores crónicos de cannabis, mas a prova de estudos epidemiológicos é inconsistente.
drucken 

www.doping-prevention.com