Technische Universität München

The Entrepreneurial University

 
O álcool (etanol) atravessa rapidamente a barreira entre o sangue e o cérebro e influencia as membranas, os canais de iões, as enzimas e os receptores de neurónios no sistema nervoso central. Os efeitos do álcool no sistema nervoso central incluem um abrandamento da condutância nervosa, libertação de bloqueio e síntese de acetilcolina, diminuição do volume de serotonina, aumento da libertação de dopamina e utilização de glucose no cérebro. Temporariamente, o álcool estimula o sistema noradrenérgico, ao fornecer um impulso de energia, seguido por uma diminuição da sua actividade associada a um sentimento de depressão. No desporto, o álcool pode ser consumido pelos seus potenciais efeitos positivos no bem-estar psicológico, para reduzir a tensão e ansiedade, aumentando o efeito da auto-confiança e para promover a agressividade. Por este motivo, o álcool é proibido em desportos de competição como tiro com arco, tiro ao alvo e desportos automóvel. Actuando inicialmente como um estimulante, por último o álcool diminui a função neurológica (debilitação da memória, percepção visual, fala, coordenação motora) em relação directa com a concentração de álcool no sangue. 
drucken 

www.doping-prevention.com