Technische Universität München

The Entrepreneurial University

 
Alguns estudos associam a administração de andrógenos com um maior risco da ocorrência ou intensificação do sindroma de apneia do sono. Em geral, a apneia do sono é um fenómeno de cessação recorrente ou diminuição do fluxo de ar nos pulmões durante o sono. A apneia do sono é classificada como central, devido à cessação dos movimentos respiratórios, ou obstrutiva, devido ao estreitamento das vias respiratórias superiores. Os episódios repetitivos de obstrução estão associados com hipoxia intermitente grave e fragmentação do sono. Os sintomas incluem enxaquecas matinais, fadiga e, em casos mais avançados - quadro clínico de insuficiência respiratória. A apneia do sono é uma causa comum de ressonar, sonolência durante o dia, perturbações do desempenho cognitivo e acidentes de aviação.
A administração de andrógenos pode induzir ou aumentar a apneia do sono obstrutiva em alguns homens, mulheres e crianças. Consistentes com estas observações são os recentes resultados que demonstram uma redução no tempo total de sono, episódios hipóxicos maiores e um aumento do índice de perturbação respiratória (o número de apneias e hipopneias por hora) em homens mais velhos saudáveis expostos a elevadas doses de ésteres de testosterona. O aumento da produção de testosterona endógena como resultado de um tumor que produza testosterona também pode induzir apneia do sono obstrutiva em mulheres. Os possíveis mecanismos deste efeito de andrógenos estão associados com um aumento da possibilidade de colapso da via aérea superior e a influência no controlo neuromuscular da via aérea superior de pacientes durante o sono, assim como uma redução da dimensão da via aérea superior que se segue ao efeito anabólico nas configurações estruturais da orofaringe em mulheres.
drucken 

www.doping-prevention.com